22 Out Um começo saudável para as crianças veganas

 Imagem

Por Virginia Messina (Dietista)

Recomendações descuidadas em relação à dieta vegana podem ser, e de facto são prejudiciais para a saúde de alguns veganos. Não existe qualquer razão para os veganos alguma vez estarem em risco de sofrerem deficiências nutricionais. Mas se não tiverem acesso a bons conselhos, ou se não os seguirem, as deficiências nutritivas podem certamente aparecer. E, tal como uma leitora deste blog (uma mãe vegana) me disse depois de ler um artigo um tanto ou quanto alarmante sobre como alimentar crianças veganas, “todos estes assuntos são aumentados dez vezes quando as crianças estão envolvidas”.

As crianças veganas apresentam algumas vantagens claras; as suas dietas são baixas em gorduras saturadas, livres de colesterol, e ricas em fibras e todo o tipo de substâncias químicas de origem vegetal benéficas para a saúde. Em contrapartida, alguns nutrientes necessitam de uma atenção extra.

Contudo, no caso de bebés em amamentação, as recomendações são precisamente iguais, quer a família seja vegana ou não. Em primeiro lugar, os bebés – especialmente os de pele escura – podem estar em risco de desenvolver uma deficiência em vitamina D se não tiverem suficiente exposição solar. O leite materno é baixo em vitamina D, independentemente da dieta da mãe. A não ser que tenha a certeza de que o seu filho recebe luz solar suficiente para produzir vitamina D – e isto depende do local onde se vive, da altura do ano, e da cor da pele do bebé –, os suplementos de vitamina D são absolutamente necessários. A falha em providenciar suplementos de vitamina D está significativamente associada a deficiências de vitamina D nas crianças em amamentação. 

As crianças amamentadas – mais uma vez, veganas ou não – também precisam de uma fonte de ferro a partir dos 4 a 6 meses de idade, quando as reservas deste nutriente começam a diminuir. Como os bebés começam a comer comida sólida nesta altura, os cereais para crianças enriquecidos com ferro são uma boa escolha. Se preferir fazer os seus próprios cereais, os suplementos de ferro – disponíveis em gotas – são importantes.

O único nutriente que pode faltar exclusivamente a crianças veganas é a vitamina B12. Mas desde que a mãe esteja a suplementar apropriadamente, o seu leite materno será adequado em B12.

A maioria dos bebés começa a comer sólidos entre os 4 e os 6 meses de idade. A aptidão para os sólidos depende dos sinais de desenvolvimento, não na idade. Um bom indicador de que o bebé está pronto para explorar novas comidas é a capacidade para se sentar direito sozinho. Depois dos cereais, os bebés vão progredindo para purés de fruta e vegetais, e depois para as comidas mais ricas em proteínas e em ferro, como puré de feijão e tofu. Na altura do primeiro aniversário, eles podem comer manteiga de amendoim espalhada levemente em bolachas de água e sal.

Assim que as crianças deixam de ser amamentadas, é necessário prestar alguma atenção ao cálcio e à vitamina B12. Os bebés entre 1 e os 3 anos precisam de 500 miligramas de cálcio por dia e as crianças entre os 4 e os 8 anos precisam de 800 miligramas por dia. É certamente possível obter essa quantidade a partir de comidas que são naturalmente ricas em cálcio, mas muitas crianças vão precisar de alimentos enriquecidos para satisfazerem as suas necessidades.

Comer simplesmente uma grande variedade de alimentos de origem vegetal não garante a quantidade adequada de cálcio para as crianças (ou para os adultos). Leites vegetais enriquecidos podem ser uma excelente opção, assim como pequenas quantidades de sumos de fruta enriquecidos (apesar de os sumos deverem desempenhar um papel minoritário na dieta dos bebés).

As crianças entre 1 e os 3 anos devem ingerir um pequeno suplemento de B12 mastigável que lhe proporcione cerca de 10 microgramas por dia, e as crianças em idade pré-escolar/escolar devem obter cerca de 15 a 20 microgramas por dia.

As crianças veganas têm uma vantagem relativamente ao ferro porque o leite de vaca, que é baixíssimo em ferro, por vezes substitui alimentos ricos em ferro nas dietas das crianças omnívoras. Contudo, apesar de os alimentos de origem vegetal serem ricos em ferro, as crianças com pouco apetite podem ter alguns problemas. Isto é especialmente verdade quando os alimentos com grande teor em fibras enchem rapidamente os seus pequenos estômagos. Grãos refinados e cereais enriquecidos com ferro podem ajudar algumas destas crianças a obterem a quantidade necessária deste nutriente. É importante incluir muitos alimentos ricos em vitamina C nas dietas veganas das crianças de modo a promover a absorção do ferro.

Alimentos ricos em gordura, como as nozes, sementes e alimentos de soja, podem ajudar as crianças veganas a obterem a quantidade correcta de nutrientes. A não ser que tenham alguma alergia, não existe qualquer razão para alguma vez eliminar estes alimentos das suas dietas. Certifique-se de que as crianças obtêm uma pequena dose diária de sementes de linhaça moídas, nozes, ou cerca de uma colher de chá de óleo de colza ou de noz para assegurar uma ingestão adequada do ácido gordo essencial ómega-3.

Conselhos errados sobre a dieta vegana em crianças podem definitivamente colocá-las em risco. Mas não há qualquer dúvida de que, quando seguem uma dieta saudável, as crianças veganas desenvolvem-se bem.

Para mais informações sobre alimentação vegana para crianças, eu recomendo este artigo da Drª. Reed Mangels.


Tradução: Ana Borges
Artigo traduzido com a permissão da autora.
Original: http://www.theveganrd.com/2012/11/a-healthy-start-for-vegan-children.html
Imagem retirada do artigo Real Vegan Children



Artigo relacionado: Guia alimentar para veganos

Picture

Por Virginia Messina (dietista, autora dos livros Vegan for Life, Vegan for Her, Never Too Late to Go Vegan, entre outros)

Ler aqui.


Sem comentários

Comenta

%d bloggers like this: