fbpx

Cancro e uma alimentação de base vegetal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O cancro é uma das patologias que mais mata em Portugal, juntamente com as doenças cérebro-cardiovasculares1. O número de novos casos de cancro tem aumentado, a uma taxa regular de cerca de 3% ao ano2.

Esta patologia pode afetar qualquer pessoa.

No entanto, alguns indivíduos encontram-se em maior risco que outros. Estima-se que cerca de 30 a 50% dos cancros possam ser prevenidos, perante a adoção de estilos de vida saudáveis. Seguida da diminuição da exposição a fatores de risco3.

No seguimento da prevenção, O Fundo Mundial de Pesquisa do Cancro, um dos principais centros de investigação na prevenção do cancro, apresentou o seu terceiro relatório de investigação, em 2018. Neste, seguem várias recomendações, que englobam:

  • alimentação
  • atividade física
  • composição corporal

Combinadas, estas recomendações têm como objetivo diminuir o risco de contrair a patologia3.

No documento recomenda-se, predominantemente, uma alimentação de base vegetal rica em:

  • hortícolas
  • fruta
  • cereais integrais
  • leguminosas

Desta forma, estes alimentos demonstram uma forte evidência na proteção contra vários tipos de cancro. Principalmente o cancro colorretal – um dos mais prevalentes em Portugal. Adicionalmente, também têm como vantagem proteger contra o excesso de peso ou obesidade1,3. Tal justifica-se pela riqueza dos alimentos, de origem vegetal em fibras e fitoquímicos. Estes componentes são conhecidos por interferir com vários processos celulares, envolvidos na progressão do cancro3,4.

Uma meta-análise de 7 estudos verificou ainda uma diminuição de 18%, da incidência total de cancros, em indivíduos com uma alimentação estritamente de base vegetal4. No entanto, não só o baixo consumo de alimentos de origem vegetal, como o excesso de gordura corporal e a inatividade física constam no pódio de fatores de risco, que levam ao aparecimento de cancro3.

Em suma, siga as recomendações: nutra-se, mexa-se e proteja-se!

Referências bibliográficas:
  1. Ministério da Saúde. Retrato da Saúde 2018. (2018)

  2. Direção-Geral da Saúde. Programa nacional para as doenças oncológicas 2017. (2017)

  3. World Cancer Research Fund/American Institute for Cancer Research. Diet, Nutrition, Physical Activity and Cancer: a Global Perspective. Continuous Update Project Expert Report. (2018)

  4. Melina, V., Craig, W., Springs, B. & Levin, S. Dietetics : Vegetarian Diets. J. Acad. Nutr. Diet. 16, 1970–1980 (2016)

Rafaela Honório
Nutricionista parceira da Associação Vegetariana Portuguesa (AVP)
Membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº 3872N

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Este artigo foi útil?

Considera fazer um pequeno donativo!

A AVP é uma organização sem fins lucrativos. Ao fazeres um donativo, estarás a ajudar-nos a desenvolver o nosso trabalho em prol dos animais, da sustentabilidade e da saúde humana. Muito obrigado!       

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreve a Newsletter!