fbpx

Custos de uma alimentação vegetariana

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
AVP - Custos de uma alimentação vegetariana

Um dos factores apontados como sendo uma desvantagem da alimentação vegetariana é o seu elevado custo monetário. No entanto, esta desvantagem não existe porque na verdade a alimentação vegetariana não tem, necessariamente, de ser mais cara que uma alimentação omnívora.

Refeições
Claro, um vegetariano que inclua em todas as suas refeições alimentos pré-feitos como salsichas de soja, almôndegas de soja e hambúrgueres de tofu, corre o risco de gastar mais que alguém que comesse carne em vez desses pré-feitos. Mas um vegetariano não necessita de consumir esses alimentos pré-feitos para ter uma alimentação saudável e completa. Vegetais, frutas, cereais e leguminosas, alimentos importantes numa alimentação vegetariana (e de uma alimentação não-vegetariana), são todos baratos se comparados com o preço de carne e peixe. Frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs, por exemplo) são mais caros, mas também são mais caros para não vegetarianos.
Além disso, se um vegetariano quiser comer alimentos parecidos com os que comia antes da mudança de alimentação não tem de gastar dinheiro em pré-feitos (incluindo leites vegetais (1)). Sempre pode poupar e pode fazer esse tipo de alimentos em casa havendo muitas receitas pela internet! (exemplos: hambúrgueres de grão,  bolonhesa de lentilhas e leite vegetal)
Para ilustrar a ideia (de uma maneira muito simples) de que os vegetarianos podem até gastar menos dinheiro na alimentação do que consumidores de carne, vamos imaginar um cenário em que alguém decide substituir os 800 gramas de carne de porco (digamos, bifanas) que consome ao longo do dia pela mesma quantidade de uma leguminosa, digamos, por feijão encarnado enlatado (marca mais cara, latas mais pequenas). Folheando um panfleto de um supermercado, observo que as bifanas estão a 3 €/kg, e online encontro os feijões a 2,17 €/kg. Fazendo as contas, esta pessoa pouparia 243€ por ano! É de apontar que este valor aumentaria se a pessoa comprasse latas maiores de uma marca mais barata.

Suplementos
Para quem segue uma alimentação vegana, suplementos alimentares são essenciais. Pode haver quem se questione se os suplementos não se podem tornar um peso no orçamento mensal. Eu tomo suplementos de vitamina B12 (obrigatório para um vegano) e iodo, ficando-me a 3,41 e 1,15€ por mês, respectivamente, o que não é nada caro.

Conclusão
O meu objectivo não é convencer ninguém a tornar-se vegetariano por razões económicas. É simplesmente afastar a ideia de que uma alimatação vegetariana é necessariamente mais cara e demonstrar que um orçamento mensal controlado e uma dieta amiga dos animais não são duas coisas incompatíveis.

(1) – De apontar que os leites de soja de marca branca são bem baratos (mais do que alguns leites de vaca) e, pelo menos a maioria, têm adição de cálcio, vitamina D e B12.

Não é só uma alimentação vegetariana que te proporciona uma vida de qualidade! A Acountia também! Uma empresa com 22 anos de experiência em contabilidade e apoio à gestão em Portugal, e com mais de 3000 clientes satisfeitos. São os orgulhosos patrocinadores deste artigo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Este artigo foi útil?

Considera fazer um pequeno donativo!

A AVP é uma organização sem fins lucrativos. Ao fazeres um donativo, estarás a ajudar-nos a desenvolver o nosso trabalho em prol dos animais, da sustentabilidade e da saúde humana. Muito obrigado!       

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreve a Newsletter!