Um ex-suinicultor sueco falou sobre a sua decisão de se tornar vegan e em como decidiu encerrar o seu talho para se tornar num agricultor.

Num artigo intitulado: “Como desisti de ser suinicultor para me tornar agricultor ”, publicado num grande jornal sueco, Gustaf Söderfeldt fala sobre o veganismo como o futuro da agricultura.

“É mais compassivo, saudável, sustentável, há menos desperdício e é muito mais ecológico.”, escreve o actual agricultor. “Os agricultores estão a desenvolver novos conhecimentos e métodos para dar inicio a uma mudança revolucionária – a agricultura vegan!”.

Com o seu artigo que foi publicado no passado mês de Novembro, a propósito da celebração do Dia Mundial do Veganismo, Söderfeldt motivou outros agricultores e o público em geral a optar por um estilo de vida vegan.

Se te preocupas com os animais, a solução não é carne proveniente de animais mortos de “forma humana”, afirma o agricultor.

 

“CARNE HUMANIZADA”

O agricultor, que costumava gerir um pequeno negócio de carne proveniente de animais ditos “mortos de forma humana”, dissipou o mito de que os animais podem ser mortos humanamente: “os nossos clientes adoravam ouvir que os porcos viveram uma boa vida, que foram felizes. (…) é óbvio que nenhum deles queria ouvir sobre o lado feio da criação de animais.”  disse Gustaf. “Se eu lhes dissesse que uma mãe não queria separar-se dos seus bebés ou que os porcos gritavam de angústia quando eram carregados para os camiões que os levavam para o matadouro, eu não tinha um único cliente. (…) Ninguém quer saber o lado negro da indústria da carne. As pessoas só querem ouvir sobre como a carne é “boa” e “humana”, afirma Söderfeldt.

ESCONDER A VERDADE

O agricultor apercebeu-se que a única forma de continuar a fazer o que fazia era se escondesse a verdade: “Não há nada de divertido em criar animais para os matar – até um fervoroso suinicultor concordaria comigo. Fazemos isto porque achamos que precisamos, mas por dentro sentimo-nos péssimos. De certa forma, aprendemos a desligar as nossas emoções.”, escreve Söderfeldt.

“A maior parte dos nossos clientes comprava-nos a carne de maneira a sentirem-se melhor e a silenciarem as suas consciências (…) as pessoas não querem admitir para elas próprias que estão a contribuir e a apoiar uma indústria que trata os animais de forma desumana.”. diz Gustaf, acrescentando que “se se preocupam com o bem estar animal, a resposta não é a carne de animais felizes, que são tratados e abatidos de “forma humana”. (…) o mais correcto é parar de criar animais para consumo humano.”

os nossos clientes adoravam ouvir que os porcos viveram uma boa vida, que foram felizes. (…) é óbvio que nenhum deles queria ouvir sobre o lado feio da criação de animais.

 

VEGANISMO

Söderfeldt tornou-se vegan quando ele e a sua esposa começaram a ver vídeos sobre veganismo no YouTube. Segundo ele, estes vídeos mudaram-lhe a vida.
“Apercebi-me que os vegans queriam a mesma coisa que eu: que os animais tivessem mesmo uma boa vida.”, escreveu o agricultor. “Como suinicultor, isso era o que mais importava, mas os activistas estavam um passo mais à frente porque diziam: se te preocupas com os animais, não os cries para abate e consumo humano.” Söderfeldt recorda também que, quando mudou o seu estilo de vida,  sentiu-se a funcionar melhor fisicamente, mas acima de tudo, emocionalmente.

AGRICULTURA VEGAN

O agora agricultor referiu o quão gratificante e prazeroso é cultivar exclusivamente fruta e legumes. “Há tantas razões para acreditar que o veganismo é o futuro da agricultura: é compassivo, mais saudável, sustentável e há menos desperdício. (…) Há uma comunidade crescente de agricultores que estão a optar pela agricultura vegan e que sabem e ensinam outros sobre uma nova forma, mais inteligente e benéfica de cultivar a terra. Esta comunidade está a desenvolver novos métodos e conhecimentos agricolas que permitirão possibilitar esta mudança no mundo inteiro.”, escreve Gustaf.

“É uma jornada que começou agora mesmo e precisamos que mais pessoas se juntem a nós. Novembro é o Mês do Veganismo, mas todos os meses são uma óptima oportunidade de ensinar aos outros como podem mudar os seus hábitos e a sua vida.”

 

Artigo original:https://www.plantbasednews.org/post/ex-pig-farmer-veganism-future-farming