Greta Thunberg – adolescente sueca de 16 anos, vegan, activista ambiental e fundadora do movimento Youth Strike for Climate – foi nomeada para o Prémio Nobel da Paz pouco antes do maior dia de acção global de sempre.

Thunberg, deu inicio a um protesto a solo na Suécia em Agosto do ano passado e desde aí inspirou estudantes em todo o mundo. As greves aconteceram na passada sexta-feira, dia 15 de Março, envolvendo milhares de jovens em 2.233 cidades e 128 países.

“A mudança está a chegar. Quer gostem, quer não gostem.”, disse Greta.

 

“Propusemos Greta Thunberg porque se não fizermos nada para deter as alterações climáticas, estas serão a causa de guerras, conflitos e refugiados”, disse o membro parlamentar socialista norueguês Freddy André Øvstegård. “Greta Thunberg criou um movimento que vejo como uma importante contribuição para a paz mundial. “

“Sinto-me honrada e muito grata por esta nomeação.” Escreveu Thunberg no Twitter. “Amanhã fazemos greve pelo nosso futuro. E continuaremos a fazê-lo o tempo que for necessário.”, afirmou Greta na passada quinta-feira quando soube da sua nomeação ao Prémio Nobel da Paz.

Thunberg desafiou os lideres mundiais pessoalmente na Cimeira do Clima das Nações Unidas no final do ano passado e voltou a fazê-lo em Davos, em Janeiro. “A mudança está a chegar. Quer gostem, quer não gostem.”, disse Greta.

Políticos e alguns professores universitários podem nomear candidatos ao prémio Nobel da Paz, que será entregue em Dezembro. Há 301 candidatos para o prémio de 2019: 223 indivíduos e 78 organizações.

Em 2014 o Prémio Nobel da Paz foi concedido a Malala Yousafzai de 17 anos, “pela luta…pelo direito de todas as crianças à educação.”. Malala sobreviveu a uma tentativa de assassinato por parte dos Taliban em 2012.

Enquanto alguns políticos se opuseram às greves escolares, muitos apoiaram-nas, incluindo a alemã Angela Merkel e o irlandês Leo Varadkar. Os Presidentes da Câmara de Paris, Milão, Sydney, Philadelphia, Portland, Oslo, Barcelona e Montreal manifestaram o seu apoio no passado dia 7.

“É verdadeiramente inspirador ver jovens, liderados por mulheres jovens e brilhantes, fazer com que as suas vozes sejam ouvidas e a exigir uma acção climática urgente. Eles estão absolutamente certos quando dizem que as nossas acções de hoje determinarão os seus futuros.”

 

“É verdadeiramente inspirador ver jovens, liderados por mulheres jovens e brilhantes, fazer com que as suas vozes sejam ouvidas e a exigir uma acção climática urgente. Eles estão absolutamente certos quando dizem que as nossas acções de hoje determinarão os seus futuros.” disse Anne Hidalgo, a Presidente da Câmara da cidade de Paris e presidente do grupo de cidades C40. “A minha mensagem para os jovens é clara: é da nossa responsabilidade, enquanto adultos e líderes políticos,  aprender convosco e dar-vos o futuro que vocês querem.”

As greves foram também apoiadas pelo antigo líder da igreja anglicana, Rowan Williams e pelo antigo director da Amnistia Internacional, Kumi Naidoo. “Diz-se recorrentemente que as crianças serão os “lideres de amanhã”. Mas se eles esperaram até “amanhã” pode não haver um futuro para liderarem.” disse Naidoo. “Com a paixão e determinação que demonstram para combater esta batalha que é tão importante neste momento, estes jovens estão a envergonhar os seus lideres.”

 

Artigo adaptado do original: https://www.theguardian.com/world/2019/mar/14/greta-thunberg-nominated-nobel-peace-prize