Produtores de carne e lacticínios estão a tornar-se Vegan

À medida que mais consumidores optam por comer alimentos à base de plantas pela sua saúde, ambiente, e pelos animais, a indústria da carne e dos lacticínios começa a sofrer. Alguns agricultores estão a aceitar que o futuro começa a parecer Vegan, e começam a mudar as suas vidas e quintas para corresponder com esta possibilidade.

Numa seção do seu website “Sowing Change”, uma organização sem fins lucrativos que advoga pelos animais Free from Harm documenta as histórias daqueles que decidiram viver e trabalhar sem crueldade. De acordo com o site, estes produtores agora reconhecem que agricultura “humana” só pode existir se apenas envolver plantas e não a exploração animal em qualquer que seja a sua forma.

De acordo com o site, os perfis dos agricultores “são a esperançosa prova que até aqueles que mais podem perder por renunciar à exploração animal, são capazes de uma mudança enorme nos seus corações.”

Para alguns, como Marloes Boere, que cresceu numa quinta na Holanda, foi ver a separação desoladora de uma mãe vaca e dos seus filhotes na indústria dos lacticínios que o encorajou a fazer a mudança para o veganismo.

Boere escreve no seu perfil, “Estou horririficada que vivamos num mundo que ensina crianças que é aceitável invader e explorar a maternidade de uma forma tão violenta. Ninguém deveria apoiar isto. O leite de uma mãe é alimentação para um bebé, e o leite de uma vaca é para o seu bezerro.”

Estou horririficada que vivamos num mundo que ensina crianças que é aceitável invader e explorar a maternidade de uma forma tão violenta. Ninguém deveria apoiar isto. O leite de uma mãe é alimentação para um bebé, e o leite de uma vaca é para o seu bezerro.

Para outros, como a antiga agricultora de carne Renée King-Sonnen, foi ver amizades se formarem e serem quebradas quando as vacas eram divididas e carregadas nos camiões para leilão e abate. King-Sonnen dirige agora uma quinta-santuário – no mesmo local onde criava vacas para carne – onde salva e cuida de vacas, porcos, galinhas e outros animais de quinta que necessitem de ajuda.

Para além de documentar as epifanias éticas de antigos produtores de carne e lacticínios, Free From Harm tem como objetivo educar os consumidores acerca dos benefícios para a saúde e o ambiente que advêm do veganismo. Também destaca os benefícios positivos que uma redução global na agricultura animal podia ter para a espécie humana; se houvesse menos animais criados nesta indústria para alimentar, mais plantas existiriam para alimentar a população.

A secção The Sowing Change do website Free From Harm cresce consistentemente, com perfis de agricultores de todo o mundo adicionados regularmente, que – como a antiga produtora de lacticínios Cheri Ezell – pararam de explorar animais para ganho monetário.

No seu perfil Ezell diz, “Há agora para mim uma distinção muito clara entre agricultura humana e agricultura desumana. Agricultura humana cultiva uma dieta à base de plantas. Agricultura desumana está a reproduzir seres sencientes para reprodução e consumo”.

“Há agora para mim uma distinção muito clara entre agricultura humana e agricultura desumana. Agricultura humana cultiva uma dieta à base de plantas. Agricultura desumana está a reproduzir seres sencientes para reprodução e consumo``.

Artigo original: www.livekindly.co/free-from-harm-meat-dairy-farmers-turn-vegan

LÊ TAMBÉM!
PETA galardoa uma investigadora portuguesa que está a criar alternativas aos testes em animais
Sem nenhum comentário

Publicar comentário