Opções Vegan nos Supermercados em Portugal: o que pensam os consumidores?

A Associação Vegetariana Portuguesa realizou um estudo com o objectivo de apurar as percepções dos consumidores portugueses sobre a presente oferta de produtos vegan nos principais supermercados em Portugal.
Opções veganas nos supermercados em Portugal, o que pensam os consumidores

Partilha este artigo:

A Associação Vegetariana Portuguesa (AVP) realizou um estudo com o objectivo de apurar as percepções dos consumidores portugueses sobre a presente oferta de produtos vegan nos principais supermercados em Portugal.

A procura por produtos veganos está a aumentar

Nos últimos anos, temos vindo a observar que, tanto a nível nacional como mundial, se verifica uma tendência para o crescimento do número de pessoas que segue uma alimentação vegetariana ou introduz mais refeições de base vegetal na sua dieta, quer seja por motivos de saúde, por questões relacionadas com o ambiente ou por respeito para com os animais. 

Segundo a empresa de investigação de dados AC Nielsen, o número de vegetarianos em Portugal quadruplicou no espaço de dez anos (entre 2007 e 2017). Mais recentemente, um estudo da consultora Lantern apurou que a fatia de consumidores portugueses que seguem uma alimentação vegetariana ou que procuram reduzir significativamente o seu consumo de carne e peixe ronda os 9% da população, ou seja, já não se trata meramente de um pequeno nicho de mercado, mas sim de uma tendência expressiva na sociedade.

Visto de outra forma, o mercado de produtos veganos não encontra como adeptos apenas consumidores que seguem dietas vegetarianas, interessando cada vez mais à generalidade dos consumidores, nomeadamente aos flexitarianos (cuja alimentação se centra em produtos de origem vegetal, mas, ocasionalmente, incluí carne) e aos omnívoros.

Dada esta crescente procura por alimentos de base vegetal, a Associação Vegetariana Portuguesa (AVP) procurou captar a opinião dos consumidores sobre os atuais produtos veganos numa ampla gama de categorias de alimentos, por forma a também identificar lacunas e possíveis oportunidades de mercado.

Uma imagem com texto, pessoa, cenário, feira

Descrição gerada automaticamente

Perspetivas do consumidor português sobre a oferta de produtos alimentares veganos

O estudo “Inquérito aos Consumidores sobre a Opção Vegana em Portugal” da Associação Vegetariana Portuguesa, que pode ser consultado na íntegra aqui, teve uma amostra de 2.016 participantes e explorou variados aspectos da oferta vegana nos hipermercados/supermercados do país, com o objetivo de detectar lacunas e identificar oportunidades de melhoria no mercado.

Constatou-se que a maioria dos consumidores (72%) de produtos veganos ainda consideram a oferta do mercado português como pouco satisfatória, e que gostariam de ver mais variedade de produtos veganos nas prateleiras dos supermercados. 

Quando questionados sobre o tipo de produtos onde percepcionam a necessidade de uma maior oferta, as alternativas veganas ao queijo surgem no topo desta lista (55.3%), e a par destas, os consumidores parecem também revelar o desejo de uma maior oferta de refeições veganas prontas a levar (39.6%) e  produtos de padaria (34.8%).

5Dh 6 Xoou9e4ayHED BTSkGCI55zDYPOZQvzaEcInx1 X7Z

Quais os produtos mais consumidos?

Segundo os resultados deste inquérito, os produtos veganos mais consumidos no mercado português são as alternativas à carne como o tofu e o seitan (72.9%) e os produtos alternativos aos laticínios (71.1%). Por outro lado, as alternativas veganas ao marisco (0.5%), ao ovo (2.0%) e ao peixe (3.2%) correspondem aos produtos do segmento menos consumidos, devendo-se isto, possivelmente, à falta de disponibilidade dos mesmos no mercado.

uqcMNibZZ1NhctOKVUaIONPVwJBgSE4vtdwt1EEaDhsUgGyb4PbOx

Os Portugueses estão satisfeitos com a qualidade dos produtos veganos?

Nem todas as alternativas veganas satisfazem os consumidores portugueses, e algumas categorias de produtos invocam maior insatisfação. Foi possível observar que os produtos veganos com que os consumidores estão mais insatisfeitos são as alternativas veganas a refeições prontas a levar (36.6%), as alternativas veganas aos queijos (34.0%) e as alternativas à carne que repliquem a sua textura e o sabor, como são os exemplos dos hambúrgueres e das salsichas (32.6%).

VMciEbh0FNas0tIzDK3OCY5J1BVwGNKdHahMobrnXL d8Zyr Er SnYP3t A9U2pTlQxop0ip2LOg8pD2iaG1jkvZCQtq07M 8QOr VlJmv

Factores como o preço elevado, a artificialidade de alguns ingredientes, o uso de ingredientes pouco saudáveis e embalagens pouco sustentáveis parecem ser aqueles que mais contribuem para a insatisfação relativa a estes produtos. Merece ser realçado o maior descontentamento em relação ao preço das alternativas veganas, que é considerado demasiado elevado. 

Por outro lado, os produtos que suscitam menos insatisfação são as bebidas vegetais (alternativas ao leite), os chocolates veganos, e os gelados veganos.

Quais os principais factores de motivação de compra dos consumidores portugueses? 

Segundo os dados do inquérito, os três motivos que mais influenciam a decisão de compra de um produto vegano são o preço (59.3%), os benefícios para a saúde (59.0%) e o impacto positivo no ambiente (58.9%). Já no que diz respeito à repetição da compra,  factores como o sabor (49,5%) e os benefícios para a saúde (49,4%) são aqueles que mais influenciam a decisão dos consumidores de voltar a comprar um produto vegano. 

A certificação Vegan é relevante?

Para mais de 80% dos consumidores, o facto de um produto ser certificado como “Vegan” (por exemplo, com um selo oficial como o certificado V-Label) aumenta a probabilidade de que venha a comprar o produto, comparativamente com produtos sem certificado, verificando-se assim a importância da certificação vegana como veículo de garantia de transparência e de construção de confiança junto do consumidor. 

CyN842P5mNxbKHyOoyaAfaiBhrOWsPUlR8OqDkTWGmH0aWNTDM6FDZDyVQRS KPq15qxRtzB3QuaAF5ZB7eU9Q03nV23pfbMpzcgq 99V1w T55drWGm w8fPvoja5P7X7lX rw=s0

Quais os supermercados preferidos dos Portugueses?

Os resultados do inquérito mostram que o Aldi (44.3%), Continente (42.2%) e Auchan (41.5%) são percepcionados pelos consumidores como sendo os retalhistas alimentares mais atractivos no que diz respeito à oferta alimentar vegana. A popularidade destas superfícies comerciais é compatível com os achados de um outro estudo da Associação Vegetariana Portuguesa, o RankingVeg, em que se desenvolveu um ranking dos supermercados portugueses com maior oferta vegana, com base em dados recolhidos nas lojas.

rl7 FbCqhi6nsKjMcC26u1tpZKkNEz542PnZ T5VQKu9ATm9dh3NDHm6 dyXEuRP3QBKfI5O8GOtNcAPcKIgTUh6tLi7zNzlp3p kvwUXq5P4164dF7DZyoY9f7TPssgTOo6ktw=s0

Conclusão: uma oportunidade para melhorar a oferta

Apesar do crescente aumento da disponibilidade de alternativas veganas nas lojas dos diferentes retalhistas a operar em Portugal, os resultados do estudo mostram que a indústria de produção e comercialização de produtos veganos em Portugal encontra-se ainda num estado relativamente embrionário em termos de colocação no mercado e, portanto, existe espaço para o crescimento da oferta e para a melhoria da mesma em termos de diversidade, qualidade e preço. 

O desenvolvimento de alternativas de base vegetal que sejam apelativas, saborosas e comercializadas a preços competitivos permitirá melhor satisfazer os consumidores actuais e poderá também atrair novos consumidores, sendo que o investimento neste segmento pode representar ganhos positivos para a sociedade em termos de saúde, e também contribuir para a maior sustentabilidade da cadeia de abastecimento alimentar.

Este artigo foi útil?

Considera fazer um donativo

A AVP é uma organização sem fins lucrativos. Com um donativo, estarás a ajudar-nos a a criar mais conteúdos como este e a desenvolver o nosso trabalho em prol dos animais, da sustentabilidade e da saúde humana.

Considera tornar-te sócio

Ao tornares-te sócio da AVP, estás a apoiar a nossa missão de criar um mundo melhor para todos enquanto usufruis de inúmeros benefícios!

Queres receber todas as novidades?

Subscreve a newsletter AVP

Mais artigos em

Mais artigos em

Mais lidos

Subscreve

a Newsletter

Não percas um grão do que se passa!