DIRECÇÃO

Nuno Alvim

Presidente da Direcção
Nasci em 1991 e estudei criminologia no Porto. Sou também activista pelas causas humanas, animal e ecológica, que considero estarem interligadas. Em 2010 tomei o primeiro passo em deixar o consumo de carne e dei início a um processo de reconstrução de identidade própria, que culminou na leitura da obra de Peter Singer, “Animal Liberation” que revolucionou o meu modo de pensar, como o de muitas pessoas por todo o mundo. Obrigou-me a repensar os meus esquemas de pensamento e a adoptar uma postura na vida orientada praticamente para reduzir o sofrimento dos outros. Considero o veganismo uma atitude simples, pragmática, com repercussões políticas, sociais e económicas imediatas. Acredito também que seja a ideologia liberal mais abrangente e transversal de todas, que contempla os interesses e direitos de todos os seres vivos neste planeta, sejam eles humanos ou não humanos. A Associação Vegetariana Portuguesa surgiu naturalmente como uma etapa neste processo, que me tem permitido fazer um trabalho gratificante na consciencialização das pessoas, colocando-lhes na posse da informação com que possam fazer uma diferença nas suas vidas.

Ricardo Morais-Pequeno

Vice-Presidente
Sempre fui adepto da defesa dos animais e em 2006 tornei-me vegetariano, de forma progressiva. Tenho 45 anos, vivo em Lisboa e sou licenciado em Biologia, sendo actualmente professor de Ciências Naturais. Procuro o progresso pessoal, em diferentes dimensões. Dentro dessa lógica, aprendi Yoga e meditação, que pratico. Acredito na educação, no exemplo e no esforço como formas de mudar o mundo. Procuro, mas minhas relações pessoais, explicar as razões que sustentam a dieta vegetariana / vegana e desmontar a argumentação que a ela se opõe. Esforço-me por agir em defesa das causas que defendo e, nessa lógica, participei, em 2012, na organização das Conferências “(R)Evolucionar Portugal”, que conseguiram reunir e fazer convergir um grande número de projectos de mudança do país e do estado actual de coisas. Penso que a causa do vegetarianismo deve ser defendida com inteligência, criatividade e perseverança, e tenho grande motivação para a apoiar e lutar por ela. Penso também que o bom-senso e o respeito pelo modelo do mundo dos outros são essenciais para criar abertura para a causa vegetariana em quem ainda não a defende.

Luís Ferreira

Tesoureiro
Tenho 30 anos. Lembro-me de quando era pequeno, ver um vídeo, sobre como eram tratados os animais antes de chegarem ao nosso prato.Na altura fiquei horrorizado(acho que a maioria das pessoa que vê essa realidade também o fica). Claro que perante as pressões da sociedade e educação que se afastava de certos temas sensíveis, acabei por me desligar do assunto.
Passado vários anos, comecei a sentir que a minha vida estava a perder o significado.Logo decidi juntar-me a uma associação de apoio a animais. Nessa associação conheci duas pessoas espectaculares que me levaram à minha ideia de criança, Não comer animais, não os usar como objectos.

Darchite Kantelal

Nutricionista
Estudei no Colégio Planalto em Lisboa mas fiz a minha formação como Nutricionista/ Dietista em King’s College London no Reino Unido. Mais tarde, completei o mestrado em Nutrição Desportiva em Oxford. E após ter feito o estágio durante a época 2014/15 no Sport Lisboa e Benfica, comecei a trabalhar como nutricionista Desportivo no G.D. Estoril Praia, onde ainda hoje exercito a minha profissão.
O gosto pela alimentação de base vegetal e a admiração pelo trabalho do Dr. Michael Greger levou-me a integrar a equipa do Nutritionfacts.org, onde eu participo ativamente como Nutricionista Moderador de toda a plataforma do site. Por outro lado, a minha paixão pelos animais levou-o a tornar vegano em Dezembro de 2015.
Durante os meus tempos livres, eu gosto de praticar vários tipos de exercício físico, ler e conviver com os amigos.

ASSEMBLEIA GERAL

Sónia Zacarias

Presidente
Nasci em 1988 e estou neste momento a tirar doutoramento em bioquímica e biologia estrutural. O meu primeiro contacto com questões relacionadas com os direitos animais deu-se quando tinha apenas 6 anos. Na altura o meu irmão, 10 anos mais velho que eu, tinha passado meses e meses a pedir aos meus pais um casaco de cabedal, quando estes por fim assentiram o meu irmão mudou drasticamente de ideias, dizendo que isso custaria a vida a uma vaca, que possivelmente morreria sem nunca ter visto a luz do sol.
A partir dos meus 18 anos deparei-me com cada vez mais informação sobre a exploração dos animais na pecuária e era evidente que todos os que optavam por não querer saber eram cúmplices. Fui adotando portanto uma alimentação vegetariana de modo intermitente, que aplicava consoante a conveniência da situação. Assim era mais fácil encaixar-me nos jantares de amigos e família, e era também mais fácil ter sempre algo para comer quando o tempo escasseava. Contudo isso não era suficiente para mim e sentia-me verdadeiramente mal por as minhas atitudes não estarem de acordo com as minhas convicções, o que me levou a fazer a escolha mais preciosa da minha vida: viver tentando respeitar ao máximo a vida de todos os animais. Portanto ser vegetariana e divulgar o vegetarianismo é o meu pequeno impacto num mundo ainda adormecido para os gritos de socorro de muito animais que querem ser vida e não apenas objecto.

Filipa Calisto

Vice-Presidente
Completei o meu mestrado em Microbiologia na Universidade de Lisboa em 2012 e estou atualmente a tirar doutoramento em Bioquímica no Instituto de Tecnologia Química e Biológica. Sou vegetariana há dois anos. Há várias razões que me levaram a ser vegetariana; crueldade animal, impacto ambiental e saúde. Embora a adoção do vegetarianismo tenha sido fácil, há desafios diários numa sociedade que não entende a escolha que fazemos. Em conjunto com a AVP, quero promover o vegetarianismo, os direitos dos animais e consciencializar para o efeito positivo do vegetarianismo no nosso planeta.

Luís Valdez

Secretário
Nasci em 1996 e sou estudante de engenharia informática em Leiria. Sou também activista pelos direitos dos animais, interesse esse que nasceu quando tinha 15 anos.
Aos 16 anos deixei de consumir carne e começou então o meu processo de adaptação (gradual) a uma dieta vegetariana. Hoje em dia sou vegetariano há 3 anos e posso dizer que vivo de acordo com os meus valores.
A minha mudança alimentar teve sempre a sua raiz no direito dos animais e valores éticos dos quais eu não abdico.
Quando ao ver uma palestra do activista Gary Yourofsky me deparei com a realidade de onde os meus alimentos vinham e o impacto que tinham no planeta, animais e saúde tomei a decisão de mudar. Se posso ser (mais) saudável sem consumir animais, porque não?
Abraço a missão da AVP em tornar Portugal num país no qual o vegetarianismo é algo normal e bem aceite.

CONSELHO FISCAL

Jorge Ribeiro

Presidente
Jorge Ribeiro tem 38 anos, nasceu e cresceu no Porto e é engenheiro electrotécnico de formação e profissão.
Em 2009 tomou consciência da exploração a que os seres humanos submetem os animais não humanos. Foi nesse mesmo ano que se tornou vegano e decidiu dedicar a sua vida à defesa dos animais.
Não tem qualquer dúvida de que os animais não humanos são detentores de direitos morais, incluindo os direitos à vida, à liberdade e à integridade física. São seres sencientes, com interesses próprios e que devem ser respeitados.
Em 2011 abraçou o desafio de se inscrever no curso de Direito, encontrando-se atualmente a elaborar a dissertação de mestrado em Direito Animal.
Participou na criação do PAN, o primeiro partido político português a defender os direitos dos animais, sendo Presidente do primeiro Conselho Local do Porto e integrando a primeira Direcção Nacional e a primeira Comissão Política Nacional. Foi igualmente cabeça de lista pelo PAN ao distrito do Porto nas Eleições Legislativas de 2011. Atualmente pertence ao grupo do PAN Porto.
Em 2012 tomou a iniciativa de fundar a Associação Vida Animal, sendo o actual Presidente da Direção. Acredita que esta instituição em muito contribuirá para a necessária mudança de paradigma em Portugal no que diz respeito à interacção entre humanos e não humanos.
Tem o privilégio de ter como companheiros de vida dois animais não humanos: a Morgana e o Marte.

Rita Vicente

Vice-Presidente
Nasci em Setúbal, no ano de 1986. Actualmente, trabalho e vivo em Lisboa. Sou Licenciada em Enfermagem, e tornei-me vegana em Janeiro de 2014, após tomar conhecimento das implicações éticas relacionadas com a utilização de animais. Faço parte da associação Animais de Rua, enquanto voluntária, desde 2015. É com agrado que integro a Associação Vegetariana Portuguesa, na expectativa de contribuir para a divulgação do veganismo e também para a promoção de uma alimentação vegetariana saudável e dos seus benefícios para a saúde humana.

Sofia Vieira

Vogal
Nasci em 1979 e sou vegetariana desde 1998. Tomei esta decisão porque me sentia sensibilizada com o sofrimento animal que a indústria pecuária causa. Sou licenciada em Engenharia Química e em 2013 criei o projecto VeganCare, com o objectivo de comercializar produtos de cosmética não testados e sem ingredientes de origem animal. Participo activamente em grupos activistas como o Porto pelos Animais. Presentemente colaboro com a AVP a vários níveis, como no desenvolvimento de parcerias e relações comerciais.

EQUIPA EXECUTIVA

Ivo Araújo

Gestor da V-label
Nasci em 1983, no distrito de Lisboa e sempre me revi com o resto de toda a natureza à minha volta.
As memórias que tenho da minha infância e adolescência envolvem sempre os animais que a minha família, inevitavelmente, fazia questão de acolher.
Em meados de 2003, depois de muita pesquisa e introspeção, assim como do reconhecimento das implicações éticas e do impacto que advém da nossa existência, finalmente dei os primeiros passos em direção ao que, eventualmente, entenderia como sendo o veganismo.
Almejando eu a minoração do sofrimento, vejo o veganismo como um dos meios de chegar a esse fim e, como tal, revejo-me na plenitude com a mensagem que a Associação Vegetariana Portuguesa intenta transmitir.
É com muito gosto que me encontro, em conjunto com a Associação Vegetariana Portuguesa, responsável pelos processos de licenciamento e certificação da V-Label Portugal.

Natacha Meunier

Coordenadora de eventos
Nasci em 1990 na bela cidade de Coimbra e por lá fiquei até 2017, ano que decidi rumar a norte e descobrir o que o Porto me tinha para oferecer. Sou licenciada em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo e Informação, apesar de trabalhar na área de marketing desde 2012.
Para vos contar a minha história sobre como me tornei vegan, o espaço seria pouco mas posso dizer-vos que tomei a decisão de um dia para o outro, inicialmente por uma questão de saúde e nunca mais olhei para trás! 4 anos depois sou uma pessoa muito mais feliz, saudável e empática com toda a vida que me rodeia!
Atualmente dedico praticamente todo o meu tempo livre a experimentar novos sabores na cozinha e a documentar as minhas conquistas no meu blog, Vegan Purista.
A vontade de querer chegar mais longe e inspirar os que me rodeiam trouxe-me até à Associação Vegetariana Portuguesa, com muito orgulho pela dedicação e altruísmo que encontrei nesta “pequena família improvisada”.

Ingo Depner

Dep. Internacional
Nasci em 1977 e sou um consultor de negócios, coach e autor. Especializei-me em fornecer apoio e mentoria a organizações e ao seu pessoal para potenciar as suas mais-valias e a riqueza que trazem ao mungo.
Tenho ampla experiência a trabalhar com pessoas em todos os níveis da hierarquia organizacional, inclusive ao nível de formação de grupo e mentoria individual de directores executivos, membros directivos e funcionários públicos.
Decidi tornar-me vegetariano quando adoptei o meu cão em 2013. Não era capaz de ver qualquer diferença entre ele e outro animal, pelo que amá-lo mas comer outros animais não fazia sentido para mim. Tornar-me vegan foi o próximo passo lógico – não só em prol dos animais, da minha saúde, do ambiente, e do mundo em geral.
Advertisment ad adsense adlogger