Alternativas Vegan para o Cabedal

Alternativas Vegan para o Cabedal

O cabedal vegan é uma estrela em crescimento no mundo da moda. O Mercado das alternativas ao cabedal livres de animais deverá chegar aos 85 biliões de dólares em 2025, de acordo com dados recentes da empresa de consultoria de gestão Grand View Research.

O relatório destaca o aumento da consciência acerca dos efeitos da indústria do cabedal nos animais e no planeta, custos de produção mais baixos, e novos e inovadores têxteis como factores a fazerem este Mercado crescer. Mas o que é cabedal vegan, como se usa, e é todo o mesmo?

 

Alternativas ao Cabedal: O Guia Vegan Definitivo

 

O que é Cabedal Vegan?

Cabedal Vegan é qualquer material de base vegetal feito para imitar cabedal autêntico.

A maioria da pele vegan que vais encontrar em lojas é feita de poliuretano (PU), um polímero versátil que pode ser feito por encomenda para o satisfazer qualquer designer. PVC, que foi popular nos anos 60 e 70, é ainda usado em algumas aplicações, mas é menos popular devido à sua textura ligeiramente pegajosa e baixa durabilidade.

Pode ser brilhante, ter um brilho lustroso, ou ser saturada em todos os tipos de tons, fazendo desta uma escolha popular para sapatos, malas, roupas, acessórios, e até mobiliário.

A forma mais comum de fazer cabedal vegan como PU e PVC é aplicar uma camada a uma base de fibra, de acordo com o Science Times. Os tipos de plástico usados nestas camadas variam e isto é o que define se é um produto amigo do ambiente ou não.

O antes popular cabedal em PVC é conhecido por libertar dioxinas, um grupo de compostos químicos tóxicos que se formam quando incinerados. O Vinyl Council Australia observa que o PVC só emite dioxinas quando queimado ou exposto a altas temperaturas.

O plástico mais moderno e ligeiramente menos prejudicial é o PU, que está constantemente a ser desenvolvido tecnicamente para reduzir defeitos, como as toxinas perigosas que liberta durante a produção e os polímeros de óleo de que são feitos que usam combustíveis fósseis.

LÊ TAMBÉM!
Guia Vegan Completo para a Zara

Enquanto que o PU é um dos cabedais vegan mais disponíveis, inovações recentes têm abrido passagem para tecidos feitos de fibra de ananás, água de coco, maças, e cogumelos.

Novas inovações estão sempre a ser desenvolvidas. Pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio usaram a nanotecnologia para criar um cabedal vegan que repele água e óleo. Uma designer Australiana de 17 anos criou um casaco de cabedal vegan a partir de SCOBY, a colónia viscosa de bactérias e levedura que fermentam a kombucha.

 

Cabedal de Ananás

Piñatex é um cabedal vegan feito a partir da fibra da planta do ananás. A empresa consegue as folhas geralmente a partir da indústria do ananás que não as aproveita.

A inovação na tecnologia não só resulta num cabedal mais sustentável e livre de crueldade, mas é também uma fonte suplementar de rendimento para indústrias agrícolas. Assim que é retirada a fibra das folhas, a restante biomassa é usada como fertilizante ou biocombustível. A fibra é depois degomada e processada para fazer uma malha não tecida, que é depois enviada para Espanha para finalização especializada. A partir daí pode ser transformada em casacos, sapatos, tiras de relógios, e mais.

 

Cabedal de Maçã

A marca vegan de calçado de luxo Veerah faz Appeel, um cabedal sustentável feito a partir de cascas de maçã. O processo começa com a apanha de maçãs orgânicas num pomar italiano que são depois transformadas em sumo. As cascas são reservadas, desfeitas em pó fino, e depois processadas em cabedal de base vegetal usado para fazer sapatos. A estrela vegan do Harry Potter Evanna Lynch já usou os saltos Veerah.

 

Cabedal de Cogumelos

A marca alemã vencedora de prémios Zynder faz cabedal vegan a partir de cogumelos. De acordo com a empresa, os cogumelos são apanhados à mão de uma floresta na Roménia e depois transformados num material suave tipo camurça num estúdio em Berlim. Já foi usado para fazer carteiras, chapéus, e sapatilhas.

LÊ TAMBÉM!
Proibição do termo “Hambúrguer Vegetariano” na UE? Assina a petição!

A Bolt Threads, marca baseada na Califórnia, faz um cabedal de cogumelos chamado Mylo, que é desenvolvido em parceria com a Ecovative, a empresa por detrás das embalagens sustentáveis da IKEA. A Bolt Threads usa a estrutura das raízes dos cogumelos para fazer o seu cabedal vegan, já usado pela designer inglesa Stella McCartney para fazer uma mala cruelty-free.

 

Cabedal de Coco

Malai é um cabedal completamente vegan feito a partir de desperdício agrícola da indústria do coco do sul da India. A empresa trabalha com agricultores para coletar água de coco que seria descartada, para alimentar a produção de celulose bacteriana. O resultado é um material tipo cabedal flexível e duradouro que é resistente à água e livre de revestimentos plásticos e ingredientes sintéticos. Este pode ser produzido com diferentes grossuras e pode ser também pintado. O cabedal vegan Malai foi já feito para fazer sapatos, malas e clutches.

 

Outros cabedais Vegan

Novos tipos de cabedal vegan estão constantemente a ser trazidos para o mercado. A marca de calçado grancesa Veja lançou recentemente umas sapatilhas cruelty-free feitas a partir de cabedal de milho, sendo metade feitas a partir de desperdício de milho da indústria alimentar.

Numa escala mais pequena, dois designers em dois locais quase opostos do globo desenvolveram cabedal vegan usando SCOBY (cultura simbiótica de bactérias e levedura), um ingrediente tipo slime usado para fermentar kombucha. A designer búlgara Galina Mihaleva faz este material a partir de um laboratório improvisado na School of Art no Arizona. Uma estudante australiana fez um casaco de cabedal vegan usando um método similar, que a fez ganhar um lugar no London College of Fashion com 17 anos – a mais nova estudante a ser aceita na escola.

Novas inovações estão sempre a surgir no mercado à medida que a tecnologia melhora e mais procuram tornar o seu estilo de vida livre de crueldade.

Artigo original: https://www.livekindly.com/vegan-leather-guide/

Tags:
Sem nenhum comentário

Pedimos desculpa, não estamos a aceitar novos comentários.