O veganismo não é simplesmente o que comes e a indústria de viagens também está a embarcar no comboio ético e a tornar-se mais vegetal. Agora, os viajantes veganos podem fazer de tudo, desde tours especiais com comida vegan, até reservar hotéis vegetarianos – sem nenhuma salsicha à vista (bem, apenas vegetarianas).

Até as companhias aéreas estão a começar a oferecer refeições a bordo que atendem os passageiros que desejam evitar produtos de origem animal.

Paul Eyers, co-fundador da Vegan Food Quest, notou uma diferença enorme nas ofertas para os viajantes vegetarianos nos últimos cinco anos. Ele diz: “Grandes marcas internacionais agora oferecem opções de menu vegan, enquanto antes precisavas confiar em comunicar as tuas necessidades alimentares diretamente – e manter os dedos cruzados de que iriam compreender!”

Há um número crescente de sites dedicados a viagens vegan, como o Veggie Hotels, que lista propriedades vegan-friendly, e o Happy Cow, que te ajuda a encontrar restaurantes vegetarianos e vegan no teu destino. E novas empresas de viagens veganas, como a Veg Jaunts and Journeys, estão a oferecer tours para vegans, feitas por vegans.

Grandes empresas de viagens também estão a responder à procura por excursões veganas. A Intrepid Travel revelou recentemente três novas Vegan Food Adventures, viagens de oito dias à Índia, Tailândia e Itália. As viagens foram tão bem sucedidas que mais serão lançadas em 2020.

“A comida é uma das melhores maneiras de te nos conectarmos com as culturas locais, mas os requisitos dietéticos podem ser complicados com as barreiras de idioma”, diz Neil Coletta, Gerente de Marca e Produto Alimentar da Intrepid Travel. “Por que é que os vegans haviam de perder experiências alimentares autênticas?”

E, no entanto, as viagens veganas consistem em mais do que simplesmente encontrar comida de base vegetal nas férias. Entra aqui a acomodação vegan. Wendy Werneth, criadora do The Nomadic Vegan, acredita que os hotéis têm um papel a desempenhar se quiserem melhorar a experiência dos seus convidados veganos.

“É importante saber se os produtos de higiene fornecidos pelo hotel são vegan (desprovidos de todos os produtos de origem animal) e sem crueldade (não testados em animais)”, diz ela. “Para que um hotel seja verdadeiramente vegan, a roupa de cama e o mobiliário também devem estar livres de produtos de origem animal, como lã, penas, seda e couro.”

Hilton London Bankside vegan suite [Photo: Hilton]

Um hotel que tomou nota do crescente movimento vegano é o Hilton London Bankside, de 5 estrelas. Em fevereiro de 2019, lançou a primeira suíte vegan do mundo, completa com um cartão-chave vegetal, carpete de algodão ecológico e material estacionário sem vestígios de animais.

A suíte – que recebeu aprovação da The Vegan Society – também possui chão de bambu, roupas de cama de origem ecológica e cabeceiras e poltronas feitas de uma alternativa natural ao couro. O menu do quarto foi ajustado para incluir opções que vão desde abacate e Quorn mexido e quinoa até bife de couve-flor e dhal de cinco grãos.

“Não acreditamos que o veganismo seja uma moda passageira”, diz James B. Claire, gerente geral do Hilton London Bankside. “As pessoas estão a tornar-se mais conscientes dos problemas de sustentabilidade e conscientes dos produtos que compram ou consomem. Os efeitos positivos de uma dieta de base vegetal têm crescido ano após ano e acreditamos que esta é uma opção de estilo de vida que as marcas devem levar em consideração para atender às necessidades do público. ”

Esta aposta da Hilton – cuja suite vegan custa 594€ + IVA por noite – é um sinal seguro de que o veganismo está a tornar-se mais difundido, e que as grandes empresas estão a prestar atenção. “Espero que o próximo passo seja que os hotéis em faixas de preço médio façam o mesmo”, diz Wendy Werneth. “O veganismo ainda é visto por algumas pessoas como caro e elitista, quando não precisa ser”.

Room 3 at Saorsa 1975 hotel.

Na Escócia, o Saorsa 1875 levou o conceito ainda mais longe do que um único quarto. Todo o hotel foi especificamente “projetado para vegans, vegetarianos e curiosos para comida à base de plantas”. Inaugurado em junho de 2019, é o primeiro hotel completamente vegano do Reino Unido.

Os 11 quartos boutique – que começam a partir de 108€ por noite para um quarto individual ou 140€ por noite para um duplo – demonstram “luxo ético”, de acordo com o seu site. Este é completamente livre de produtos de origem animal, com tudo, desde a cama aos produtos de limpeza, vegan e sem crueldade.

“Mais pessoas estão a evitar a brutalidade e impacto ambiental da pecuária”, diz Jack McLaren-Stewart, diretor de estilo de vida da Saorsa 1875. “Como vegans apaixonados, ficamos muito frustrados com as opções disponíveis na indústria hoteleira e senti que era algo de que as pessoas estavam desesperadamente à procura. ”

A eletricidade do hotel será fornecida pela Ecotricity, certificada pela Vegan Society, e os produtos de higiene foram escolhidos em parceria com “marcas locais e éticas”. Haverá também um menu de base vegetal, projetado pelo chef Luca Sordi, com pratos feitos com ingredientes orgânicos locais. Você também pode esperar masterclasses de cocktais, degustações de vinhos e aulas de yoga.

“A indústria de viagens tem sido muito lenta para responder ao aumento da procura por experiências vegan-friendly”, diz McLaren-Stewart. “Goste ou não, está aqui para ficar e acho que as empresas que não se adaptarem vão começar a ter dificuldades em breve”.

 

Artigo original: https://finance.yahoo.com/news/the-rise-of-the-vegan-hotel-153351042.html?guccounter=1